Flash Review: MX Linux 17.1

Ecrã de boas vindas

MX Linux é uma distribuição derivada do Debian estável que resulta do trabalho desenvolvido por duas comunidades, a antiX e a antiga MEPIS. Esta é uma distribuição jovem (tem cerca de 4 anos) que tem vindo a granjear uma crescente popularidade no seio da comunidade Linux. Isto porque combina simplicidade com leveza.

MX tools: um facilitador de serviço

Apesar de ter como base o Debian Stable, que lhe confere uma estabilidade notável, esta é uma distribuição user friendly muito graças as suas ferramentas que visam facilitar a vida ao utilizador menos avançado. No primeiro boot do sistema o utilizador dá de caras com uma ferramenta de boas vindas, que lhe introduz a uma vasta documentação, tutoriais e ferramentas que lhe permite gerir e configurar o sistema. Destaco a “MX Tools”, uma aplicação que agrupa uma enormidade de ferramentas indispensáveis ao utilizador, permitindo a gestão de utilizadores, edição do menu do sistema,  recuperação de arranque, instalação de drivers e codecs, configuração da Conky (widget), configuração de rede e som, configuração do painel, compositor de janelas (sem compositor, compositor Xfce, Compton), instalação de software e gestão de repositórios, suporte para dispositivos Apple e até a criação de uma ISO através do snapshot do sistema.

A ferramenta de gestão de software do MX, além do velho Synaptic que também se encontra disponível, é uma maravilha. Nesta ferramenta temos vários separadores especificos. O primeiro inclui uma seleção de software popular e os restantes permitem acesso aos repositórios estáveis (Debian), testing (Mx), backports (Debian) e até de instalação de Flatpaks via Flathub. O que permite ao utilizador uma alargada oferta de software. Isto além de uma considerável oferta de pré-instalado, com destaque para as recentes versões do Firefox e Libreoffice.

Lançada em meados deste ano, a MX Linux 17.1 vem com o Xfce 4.12 e encontra-se disponível em 64 bits e 32 bits com Kernel PAE. O download da distribuição pode ser feito aqui.

 

Deixe um comentário