É a tua privacidade, estúpido!

Privacidade digital. Desde o caso Edward Snowden que a preocupação pela privacidade disparou. As pessoas sentem-se lesadas, não só vigilância e espionagem de agências governamentais mas também pela forma como os produtos digitais se cada vez mais intrusivos.

A preocupação atingiu níveis que até certos partidos têm vindo a lutar pelos direitos digitais. Em Portugal, o Bloco de Esquerda é dos partidos mais activos nesse aspecto.

A partir do momento em que ligamos o computador, que a nossa privacidade é posta em causa. Especialmente, se usa o Windows 10 que tem uma política de privacidade que visa usar os seus dados pessoais para a Microsft vender a terceiros. Aliás, o Windows 10 pode ser tão intrusivo ao ponto de eliminar documentos e aplicações que tem no seu computador.

O uso de dados pessoais dos utilizadores para fins comerciais não é exclusivo da Microsoft. Companhias como a Google, o Facebook, Twitter e outras da web usam os seus dados como fonte de rendimento. Ao usar os seus serviços está a concordar com isso. Claro que pode menorizar os estragos. Vamos ver como:

Comecemos pelo sistema operativo. Em vez do Windows ou OSX (bem menos abusivo que o Windows) use Linux, um sistema de código aberto (opensource) com claros benefícios para o utilizador. Existe uma diversidade enorme de sistemas (distribuições) Linux e a maior parte é grátis. As distribuições Linux não vendem os seus dados para rentabilizar. Grande parte das distribuições são feitas e suportadas pela comunidade Linux e mesmo as grandes Companhias Linux como Canonical, Novell e Red Hat ganham dinheiro através de suporte profissional e produtos específicos. Mesmo que as companhias decidissem criar uma forma de rastear os seus dados e vende-los, seria fácil (por ser de código aberto) para a comunidade criar ferramentas para impedir isso.

tor messenger
Tor Messenger

Use um navegador seguro. Escolhemos o Firefox porque usa na sua grande parte tecnologias opensource e é virado para a segurança. Tenha cuidado com os cookies, pode configurar o seu navegador de forma a não lhe rastear. Se não se quiser aventurar pelas definições, use extensões como Self-Destructing Cookies e Cookie Controller.

Para pesquisar e navegar na net, substitua o Google pelo DuckDuckGo, um sistema de pesquisa que não rastreia a sua actividade na net.

Se a sua preocupação pela privacidade (e liberdade) é ainda maior, pode navegar anonimamente com o Tor Browser. Além de não deixar rasto, o Tor Browser permite-lhe que aceda a sites que estão bloqueados cá em Portugal como o Tugaflix, Megafilmes, etc. Em alternativa pode usar o addon ZenMate no Firefox.

A privacidade chega também aos mensageiros. Converse em segurança com o Tor Messenger ou com o qTox.

É a tua privacidade, estúpido! 🙂

2 comentários em “É a tua privacidade, estúpido!”

Deixe um comentário