Projecto LaciOS: Entrevista a Blau Araujo

lacios-eanes1Inicialmente surgiu como ideia do fórum Linux & Companhia em criar uma distribuição Linux mas foi ganhando forma, sendo actualmente um projecto distinto. Mais do que uma distribuição Linux, o projecto visa em contribuir para uma melhor experiência de uso dos sistemas Linux.

No sentido de conhecer melhor este projecto, contactamos um dos envolvidos, Blau Araujo. O resultado é o seguinte:

O que é o Projecto Lacios e como surgiu? Porquê a escolha deste nome?

O Projecto LaciOS consiste em um conjunto de pequenos projectos menores que visam explorar meios de melhorar ainda mais a experiência de uso de sistemas operacionais baseados em Linux. O nosso foco são os sistemas baseados em Debian testing e inicialmente com ambiente de trabalho Xfce, mas nós acreditamos que muitos dos nossos desenvolvimentos poderão e acabarão sendo portados para outras plataformas através de membros de outras comunidades em contacto com a nossa.

A ideia surgiu dentro do Fórum Linux & Companhia, quando um dos fundadores se animou com a ideia da fazer uma distribuição. Depois de algumas reuniões por hangout, ficou claro que nós poderíamos dar início a algo muito mais interessante do que simplesmente “mais uma distro”. Então nós decidimos que a distro seria simplesmente um Debian testing customizado com repositórios do SolydXK (que também é Debian testing) para incluir alguns aplicativos muito populares, mas que nunca entrarão nos repositórios do Debian.

Como o projeto nasceu dentro do Fórum Linux & Companhia, uma comunidade voltada à discussão em língua portuguesa de vários assuntos relacionados com o Linux, nós tínhamos as iniciais “LCOS”, às quais nós incluímos as vogais “a” e “i” para formar uma palavra foneticamente semelhante a “Lácio”, região onde historicamente nasceu o Latim, do qual a língua portuguesa é a sua “última flor”, segundo o poeta brasileiro Olavo Bilac no soneto “Língua Portuguesa”:

Última flor do Lácio, inculta e bela,
És, a um tempo, esplendor e sepultura:
Ouro nativo, que na ganga impura
A bruta mina entre os cascalhos vela…

Amo-te assim, desconhecida e obscura,
Tuba de alto clangor, lira singela,
Que tens o trom e o silvo da procela
E o arrolo da saudade e da ternura!

Amo o teu viço agreste e o teu aroma
De virgens selvas e de oceano largo!
Amo-te, ó rude e doloroso idioma,

Em que da voz materna ouvi: “meu filho!”
E em que Camões chorou, no exílio amargo,
O gênio sem ventura e o amor sem brilho!

Blau-Araujo
Blau Araujo

Além disso, as versões dos nossos grandes ciclos de desenvolvimento, que correspondem à duração do período em que uma nova versão do Debian permanece como “testing”, recebem “apelidos” em homenagem aos grandes navegadores da história, começando por Gil Eanes, escudeiro de D. Henrique de Sagres e o primeiro a navegar para além do Cabo do Bojador, abrindo caminho para o período dos grandes descobrimentos.

Quando nós dizemos “Projecto LaciOS”, a ideia é justamente deslocar um pouco o foco da distribuição em si (o LaciOS). Para todos os efeitos, o LaciOS é apenas um Debian testing customizado, e serve de base para o projeto como um todo de várias formas: como uma oportunidade prática de compreender o processo de criação e manutenção de uma distribuição Linux, como “campo de provas” para scripts e outras contribuições do projeto, como ferramenta para ajudar na popularização do Linux em desktop, etc. Então, quando nós desenvolvemos algo para o LaciOS, nós sabemos que isso poderá ser utilizado no Debian e em qualquer plataforma baseada mais diretamente nele, como o SolydXK, por exemplo.

Algumas das nossas contribuições poderão vir a ser encaminhadas como propostas para inclusão nos repositórios do Debian, já outras seriam mais compatíveis (mais em termos de licença) com os repositórios do SolydXK, e ainda haveria grupos de scripts e aplicativos que deveriam ficar nos nossos (futuros) próprios repositórios, mas seriam 100% compatíveis com o Debian. Portanto, para a comunidade Linux, o nosso contributo seria o desenvolvimento e o incentivo ao desenvolvimento de scripts, aplicativos, pacotes deb e artwork compatíveis com Linux (começando pelo Debian), e não com uma distribuição específica.

Já em relação ao utilizador final, a ideia é demonstrar que um bom sistema operacional é aquele que você usa e se esquece da existência dele na sua máquina. Se você é daquelas pessoas que só usam o computador para ler e-mails, navegar na internet, conversar por mensageiros instantâneos, e escrever documentos e planilhas, você não precisa ficar pensando o tempo todo no seu sistema operacional, você só precisa dos programas funcionando bem. Neste caso, o Projeto LaciOS pretende trabalhar muito em projectos que ajudem o Linux a “sair do caminho” do utilizador, sem cortar características e funcionalidades de que utilizadores mais avançados não abrem mão.

O sistema operativo originário deste projecto encontra-se em versão Alpha. Como tem sido a adesão da comunidade?

Na verdade, já estamos com o beta pronto para ser lançado. O mais interessante é que, mesmo sem muita divulgação, podemos dizer que já estamos chamando muita atenção. Claro que muita gente nos procura mais em função da distribuição do que do projecto em si, mas com o tempo isso deve mudar. O alpha não tem nem duas semanas de existência, foi lançado no Natal, e já estamos com quase 100 pessoas testando o LaciOS em máquinas virtuais e reais.

Está estabelecida uma data para a versão final ou preferem não ter essa pressão?

Na verdade, nós temos pressa de lançar a versão final de todos os spins. Nós teremos versões 64 e 32bits com ambientes gráficos Gnome e KDE, além do próprio Xfce, que é o ambiente padrão, e de uma versão que nós chamamos de “Ultra Estável” (UE), baseada em Debian stable. A nossa pressa, que não implica em descuido, deve-se à necessidade de ter a nossa plataforma de testes e desenvolvimento pronta para nós começarmos a nos dedicar ao que é mais importante, ou seja, o Projeto LaciOS em si.

Referes-te que uma das preocupações que tens no desenvolvimento do LaciOS é em contribuir não só para a distribuição mas sim para o Linux em geral. Achas que se perdeu um pouco essa visão dentro da comunidade, especialmente as mais ligadas a algumas distribuições?

Sim. O foco em distribuições específicas foi algo que sempre aconteceu, mas, antes do Ubuntu, nunca se viu uma distribuição derivada criando tanta incompatibilidade com seu ramo principal. Hoje temos uma enxurrada de PPA’s e projectos direccionados apenas ao Ubuntu e derivados. Na verdade, a situação é até pior. A própria Canonical pega projectos Linux, corrige bugs, altera funcionalidades, e não compartilha nada com os projectos originais. Essa mentalidade distorcida se disseminou nos últimos 9 anos, e nós pretendemos trabalhar no sentindo inverso, quem sabe até revertendo um pouco desse quadro. Nós somos Debian e temos muito orgulho disso, nós somos simplesmente Linux.

Se alguém tiver interesse em colaborar no desenvolvimento do LaciOS como o pode fazer?

É possível colaborar de várias formas:

  • Registrando-se no fórum para compartilhar suas dúvidas e ajudar outros usuários;
  • Participando de um ou mais dos nossos projetos em andamento;
  • Traduzindo aplicativos para os português de Portugal e do Brasil;
  • Testando as actualizações do LaciOS e os nossos outros scripts e programas;
  • Desenvolvendo aplicativos e scripts que possam vir a integrar os nossos componentes;
  • Ajudando a documentar procedimentos e usos de aplicativos;
  • Compartilhando artigos e tutoriais úteis sobre o LaciOS e os nossos projectos;
  • Divulgando o nosso trabalho em seus círculos e redes sociais…

Enfim, todos podem contribuir de algum modo, mesmo que não tenha nenhum conhecimento técnico específico, desde que esteja disposto a apoiar e colaborar com o projecto.

Queres deixar alguma informação adicional?

O nosso fórum oficial é a forma mais simples de participar do Projecto LaciOS e de encontrar os links para baixar as ISOs. O nosso endereço ainda é provisório, mas o definitivo já está sendo providenciado.

Ligações: Linux & Companhia / Forum Lacios / Facebook
Download Directo: AMD64 alpha 1.1 / i386 alpha 1.0
Download via torrent: AMD64 alpha 1.1 / i386 alpha 1.0

Deixe um comentário